Dodge decide manter sigilo de delações até apresentação de denúncia ao STF
 
A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, decidiu manter as delações premiadas e investigações relacionadas em sigilo até a aceitação da denúncia pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do jornal Folha de S. Paulo. A posição de Dodge é diferente de seu antecessor, Rodrigo Janot, o qual ela substituiu a cerca de um mês. Janot muitas vezes pedia o levantamento do sigilo ainda no início do inquérito, mesmo caso de grandes acordos, como a do Odebrecht e da JBS. A lei que regulamentou a delação, de 2013, estabelece que "o acordo de colaboração premiada deixa de ser sigiloso assim que recebida a denúncia", mas não dispõe sobre manutenção de sigilo durante a apuração. A conduta da nova procuradora-geral pode já influir em casos de potenciais delatores que vem buscando fechar colaboração com a PGR, como o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-deputado Eduardo Cunha, ambos presos. Outro delator cogitado é o ex-ministro Geddel Vieira Lima, que está também detido desde julho. Ao todo, são 14 acordos em negociação com a Procuradoria.
 
Brasil, 16 de Outubro de 2017
Por Redação AlegriaNews| Foto: Reprodução| BN

  

  

  

  

 

 

 

 

 

 

 

 Portal

Início
Notícias
Música
Esporte
Entretenimento
Canal Mulher
Contato

Espaço mulher

Início
Notícias
Moda
Receitas
Bem estar

Dicas de beleza

Contato